Missionárias Combonianas
Provincia Moçambique-Africa do Sul (MOSA)

SEMEANDO PARA O FUTURO

 Semeando para o futuro

Mangunde é uma zona rural pertencente ao Distrito de Chibabava no sudeste da Província de Sofala em Moçambique. A maioria da população adulta é analfabeta e os jovens emigram com frequência para a África do Sul em busca de emprego e negócios.
Segundo o censo populacional de 2007 o distrito de Chibabava possui um total de 104.620 habitantes, com  uma superfície de cerca de 6.977 km2. A população na sua maioria jovem (43% abaixo dos 15 anos de idade), maioritariamente feminina, e de matriz essencialmente rural.
Encontra-se lá a missão de Mangunde,  a qual desde 1995 implementa um projecto de formação para esta parcela do País, a mesma que sofreu com a guerra dos 16 anos e ainda continua a sofrer pela situação político-militar actual.
A região de Mangunde é muito pobre e caracteriza-se pela falta de transporte público, mercado formal, deficiente cobertura das redes celulares, precárias condições das vias de acesso algumas das quais funcionando apenas no tempo seco.
A prática de poligamia e os casamentos prematuros são tidos como normais e são defendidos pela cultura nas suas crenças e tradições, prejudicando sobretudo as raparigas, as quais infelizmente iniciam a vida de mulher adulta de forma precoce, antes de estar suficientemente maduras em detrimento dos seus estudos e de um futuro diferente.
A fonte única e principal de sustento das famílias é o cultivo da terra, com enxadas de cabo curto e criação de pequenos animais. De outro lado, as famílias vivem normalmente isoladas uma da outra. As doenças graves e/ou mortes representam situações gritantes que levantam suspeitas e acusações na busca de culpados, e que frequentemente atribui-se as pessoas idosas através de práticas de curanderismo ou feitiçaria.

ESCOLA PROFISSIONAL FAMILIAR RURAL (EPFR)
É neste contexto que se desenvolve a EPFR. A escola faz parte da rede de escolas profissionais reconhecidas pelo Ministério de Educação que tem como objetivo principal formar os jovens do meio rural para auto-emprego, através do desenvolvimento de actividades educativas, baseadas na cultura, na realidade e nas necessidades locais.
O passado 15 de Dezembro se realizou a 9ª graduação da Instituição, com 21 alunos:7 meninas e 14 rapazes, com eles concretiza-se o lema da escola «Unir esforços, projectando o futuro». Um futuro melhor para tantas famílias que dia a dia se esforçam por levar avante os seus filhos, que invertem e acreditam que a única forma de obter um futuro melhor é a educação e formação dos filhos. Todos eles terminam esta etapa de suas vidas com um sonho: o Sonho de ver um Moçambique mais próspero, no qual cada um tem algo para aportar.

 Ânimo jovens!
O caminho se faz caminhando!
Moçambique conta convosco!
Ir. Beatriz Pedraza