Missionárias Combonianas
Provincia Moçambique-Africa do Sul (MOSA)

Hna Ruth

Ruth, amiga de Deus e de nós

Muitos são os dons e virtudes que marcam o perfil da irmã Ruth, os mesmos que viveu no dia-a-dia como irmã, mãe, amiga, mulher, missionária. Difícil seria dar a conhecer todo o que ela nos deixou. Mas, todos aqueles, aquelas que conheceram a Ruth sabem que ela era uma autêntica mulher de Deus, bastava chegar a ela para ficar animada, alegre; a sua generosidade, ternura, força e entusiasmo cativavam a todos.
Uma vez ela contou-me que na sua terra lhe apelidavam de “PACHANGA”, que significa festa, alegria; verdadeiramente ela era a mulher da festa, da alegria. Dessa alegria contagiante, simples, verdadeira, era só ela chegar que tudo se transformava em um ambiente colorido e com gosto, assim mesmo… como o sal que dá o sabor, ela punha sabor em tudo. Gostava de viver, e de desfrutar da vida de forma sadia. E nós gostávamos estar junto dela, com ela, pois transmitia Aquele em Quem ela acreditava, essa alegria diferente, essa alegria que vem de Deus.
E não só! Era uma mulher sabia, pois sabia até onde e quando devia intervir, exigente algumas e muitas vezes, mas com carinho, prudência e virtude, como uma mãe, que sabe como educar. Sabia como chamar a atenção e como visar as coisas boas de cada pessoa para que esta não ficasse machucada, nem humilhada, mas soubesse encontrar o caminho. Sabia dar tempo às pessoas: primeiro a pessoa, dizia, depois as coisas, amava a todos e a todas; com ternura, com gentileza. Um dos dons grandes que a caracterizava era o dom do acolhimento, para ela, não era perder tempo o facto de estar, conversar, dialogar com o outro, era sim um estar com Deus.
Amiga verdadeira e confidente, fazia honor ao seu nome, Ruth. A personagem da Bíblia se reflectia nela, e mais ainda, quem viveu com ela sabe: quantas confissões fizemos para ela, quantos segredos guardados, depositados, e sempre com a sua alegre paz interior, e a sua fé, nos alimentava, nos acalmava e nos empurrava a seguir em frente, confiando sempre no Senhor.
A Ir. Ruth levou a cruz da doença com confiança e serenidade, costumava repetir: a nossa vida está nas mãos de Deus e nunca queixando-se repetia sempre: estou bem!
O seu testemunho só nos conduz à verdadeira causa de todos os seus dons, Deus. Ruth, foi e será uma testemunha d´Aquele em quem acreditou, descobriu e confiou sempre.
Querida Ruth agradecemos pela tua vida, pelo teu testemunho, agora já estas face a face junto de Jesus, assim a tua alegria será plena e perfeita, desde lá intercede por tua família, tuas irmãs missionárias Combonianas a quem tanto amavas, e por cada um de nós.

 

MENSAGEM DAS EX. ESTUDANTES DA ESCOLA FEMININA DE NACALA EM MEMÓRIA AO DESAPARECIMENTO FÍSICO DA IRMÃ RUTH

No passado dia 17 de Setembro do corrente ano dissemos adeus eterno à nossa querida mãe, irmã Ruth, que encheu nossas vidas de sabedoria e alegria. Sua marca jamais será apagada, passe o tempo que passar e saudade para sempre fará parte da nossa vida. Este momento triste, mas também momento para recordarmos com amor uma pessoa muito especial que já não está entre nós.
̋ Sempre os olhos postos em Jesus Cristo, amando-O com ternura e procurando entender melhor o que quer dizer um Deus morto na cruz pela salvação das almas ̏(escritos de Comboni, pp. 29). A esta passagem do amor de Cristo que tanto tinha e ansiava nos seus missionários este amor sem medida, um amor de ir ao encontro, renasceu no coração da irmã Ruth, este amor que ela tinha amando Moçambique, na promoção das jovens e em especial as meninas da Escola Feminina, revela uma prática de fé a exemplo de Comboni

Os missionários quando são chamados por Deus para ir além-fronteiras, carregam consigo um ardente amor a Cristo, que deve realizar-se nos seus irmãos que vivem longe, disparar o egocentrismo e considerar-se como uma pessoa de todos, carregando consigo uma caridade que se construirá no trajecto da sua vocação e cria-se deste modo um mundo de irmandade, Como Daniel fez o seu testamento para os futuros missionários: ʺHá que inflama-los de caridade, que tenha a sua origem em Deus e no amor de Cristo; e quando se ama verdadeiramente a Cristo, então, as privações, sofrimentos, o martírio, tornam-se doçuras (Comboni, pp. 38). Nisto, a irmã Ruth, distribuiu esta caridade amando-nos, ela se preocupava muito com as nossas revoluções, porque era uma pessoa que fervia o seu coração de amor pelo outro; quando uma pessoa passava necessidades, ela sempre a perguntava, atenta às nossas necessidades: A fulana já está a trabalhar? Onde trabalha? Já tem filhos? Casou-se? E, quando lhe respondesse que sim, ela ficava muito feliz e ai sentia os resultados que saíram da Escola Feminina. Ela ficava mais felicíssima por ter as meninas realizado os seus sonhos e tinha esperanças das que ainda não conseguiram emprego e outras formas de realização pessoal, pois um dia elas também pudessem realizar, confiava nos africanos.  
Com o seu sorriso contagiante impulsionava no coração das suas meninas e todas as pessoas um aconchego radiante que só uma enviada de Deus pode fazer, a irmã Ruth era alegre, sorridente, social para com todas pessoas, não perdeu o sorriso até a morte, isso podemos testemunhar pelas fotos enquanto acamada que sempre sorria.
A vida da irmã Ruth tinha uma missão que é Amor ao próximo nas missões. Estava disposta a consagração total e por toda vida a propósito do Evangelho e do sonho do seu fundador. ʺO candidato deve ter uma vontade firme de se consagrar a Deus para a regeneração da África negra nos ministérios que lhe forem confiados pela obediência, e isto até à morteʺ(Comboni, pp. 73) pela profissão da obediência revelada no seu sempre sim a desempenhar papéis de professora, pedagógica, directora e a sua ultima ocupação a de Superiora.
Nossa mãe, nossa conselheira, nossa protectora, nossa professora, nossa formadora, nossa pedagoga, nossa directora, Irmã Ruth assim que estás no céu junto ao pai, menino Jesus e Maria interceda por nós, suas amadas meninas, vele por esta escola, por suas irmãs combonianas, por sua família, pela igreja Moçambicana. Vele por todos Nós. A sua partida ao Céu trouxe um acontecimento raro que é o reencontro das meninas da escola feminina sinal do seu amor e carinho que tinhas connosco. Esta universalidade de amor e necessidade de estar com o irmão é fruto do papel que desempenhaste, exemplo a seguir que deixou para nós as Femininas de Nacala. Este amor que se doa, amor sem medida, amor sem fronteiras.
Encerramos os nossos sentimentos dizendo: Aqueles que amamos nunca morrem, apenas partem desta vida antes de nós. Guardaremos sempre os seus ensinamentos nas nossas memórias!
Deus conforta-te no Seu Santuário,Sua alma Descanse em Paz
ATÉ SEMPRE IRMA RUTH…!
Nacala, 21 de Setembro de 2019