Missionárias Combonianas
Provincia Moçambique-Africa do Sul (MOSA)

Comunidade de Maputo

Em Maputo, a capital de Moçambique esta presente a comunidade das irmãs Missionárias Combonianas; formada pelas Irmãs: Angelina Zenti, ir. Dolores, e ir. Fabiola Albán. A comunidade caracteriza-se pelo seu serviço prestativo, atento, e eficiente seja no acolhimento, como na trata de documentos.
A comunidade das irmãs de Maputo é um lugar de acolhimento de irmãs, leigos e outros missionários que estão de passagem o precisam ir à capital do país.

Ir. Fabiola Albán desenvolve um grande serviço, chamado de procura, como responsável deste trabalho é encarregue de realizar os trâmites, e documentos oficiais, seja para viagens, vistos, passaportes, e outras necessidades das irmãs combonianas da província de Moçambique. Um trabalho necessário e de escondido valor, mas, sem o qual não poderíamos continuar a exercer o serviço missionário nesta grande e gloriosa terra moçambicana.
As irmãs mesmo assim, desenvolvem outros ministérios dando seu tempo e amor as pessoas com as quais compartem a vida.


JUNTOS CRESCEMOS NA FÉ

A Ir. Dolores, Missionária Comboniana, nasceu em Vila Nova de Famalicão-Portugal no ano de 1945. Trabalhou 19 anos no México e chegou a Moçambique pela 1ª vez em 1996. No centro de Moçambique, trabalhou no Buzi, Estaquinha, Mangunde e, na cidade da Beira. Actualmente a encontramos trabalhando na paróquia de Santa Ana da Munhuana, na cidade de Maputo.
A paróquia está dividida em 42 Núcleos (pequenas comunidades de 15-20 famílias) que se reúnem semanalmente nas suas casas, para ler e partilhar a Palavra de Deus, de cada Domingo. Os Animadores dos Núcleos e seus adjuntos, recebem formação todas as semanas na paróquia e a partilha da Palavra de Deus, nas suas casas, é rotativa.

Nesta paróquia trabalham aproximadamente 100 Catequistas. São quase todos leigos entre jovens e adultos. Depois de um ano de formação Bíblica, Teológica e Doutrinal, uma vez por semana, durante duas horas; e mais outro ano de estágio com acompanhamento, finalmente recebem um Diploma que os reconhece como Catequistas.
A formação é dada por Leigos, já formados há vários anos, com o apoio de algumas religiosas, entre as quais a Ir. Dolores, missionária Comboniana, quem narra: - “São muitos os que cada ano recebem os Sacramentos: Adolescentes, Jovens e Adultos, e muitos deles, se comprometem a continuar a formação para os vários Ministérios e serviços na Igreja. Alguns deles saem fora da sua paróquia para dar Catequese, preparar a Liturgia e celebrar a Palavra, ou a Eucaristia, se têm Sacerdote”.
Ir. Dolores acompanha e ajuda também, na formação do grupo de mães, o mesmo que é formado por senhoras, as quais recebe formação para trabalhar na Pastoral Penitenciária. - “Elas vão uma vez por mês, para preparar a Liturgia com os reclusos. Cada Domingo é celebrada a Eucaristia presidida por um Sacerdote da Ordem dos padres Mercedários, acompanhado por várias mães, que participam na celebração, junto com os presos”.
Cada ano se realiza em diferentes paróquias da cidade de Maputo, a Feira Vocacional onde participam várias Congregações religiosas e muitos jovens. Ir. Dolores nesta feira da conhecer aos jovens a vida e a paixão do seu Fundador, São Daniel Comboni, assim como a alegria de uma vida de seguimento a Jesus Cristo no serviço aos irmãos e irmãs além fronteiras.
- “A minha experiência em trabalhar com este povo aqui em Moçambique é muito positiva. É um povo acolhedor, simples e entusiasta pelas coisas de Deus, que celebra com grande alegria. É mais o que recebo do que aquilo que dou. Assim, Juntos crescemos na Fé como Igreja Missionária e no amor a Deus, para o serviço dos nossos irmãos”.

NO CENTRO HAKUMANA

O Centro Hakumana situado na capital do país, nasceu em 2008, e pertence à Conferência dos Institutos Religiosos de Moçambique (CIRMO). Religiosos e religiosas de várias congregações oferecem o seu serviço gratuito e solidário, participando deste maravilhoso projecto para o bem da comunidade mais pobre como são os doentes de HIV- Sida e os seus familiares.
Em 2017, os beneficiários deste Centro foram 582, dos quais 394 adultos (154 mulheres, 23 homens),  163 Crianças e adolescentes e 25 bebés. Actualmente são beneficiados aproximadamente 500 utentes.

“Hakumana”, que em língua “Xangana” significa “Nos encontramos” é mesmo um lugar de encontro, convivência e solidariedade. As suas actividades como: reforço de alimentação; atendimento sanitário; educação; actividades de terapia ocupacional; visitas domiciliárias; mini projectos de geração de rendimentos; encaminhamento jurídico; acções de formação, e participação em workshops, ajudam às pessoas para olhar com esperança e optimismo o futuro.
Neste centro encontramos ir. Angelina Zenti, missionária comboniana, italiana, enfermeira de profissão. Chegou a Moçambique em 1974, e tem trabalhado no Norte e Centro do país; desde 2014 encontra-se no Sul de Moçambique, em Maputo.
Ir. Angelina, dois dias por semanas vai dar o seu serviço sanitário no 

Centro Hakumana, com ela trabalham mais sete irmãs de outros Institutos religiosos, e mais seis leigos; existem também um grupo de estagiários, que treinam e se formar no campo da acção social, na pedagogia, psicologia e na saúde. No Centro cada quinze dias há encontro com todo o pessoal das diferentes áreas do Centro para uma avaliação e programação.
O ambiente que existe no “Hakumana” é agradável, entre todos existe colaboração e riqueza de aportacões, para que o serviço para os doentes seja com qualidade e humanidade.

“A minha ocupação é com os doentes, muitos deles de HIV-SIDA, trato as doenças oportunistas nos seropositivos, a alimentação, prescrevo ajuda alimentar conforme as necessidades de cada doente ou agregado familiar, outra das acções que fazemos é dar palestras de higiene a todos os grupos, as mesmas que são realizadas periodicamente.
Trabalhar no Centro é uma experiencia muito importante, pois desafia aos religiosos e religiosas para testemunhar a nossa unidade e comunhão de forças para um melhor serviço aos mais pobres. É pôr em comum a riqueza e diversidade que temos como membros de Institutos diferentes, para um mesmo objectivo: ser presença do Cristo no meio deles e levar melhoria e qualidade de vida para aqueles a quem assistimos”.